quarta-feira, dezembro 29, 2004

para 2005...

espero acima de tudo definições, muitas definições... a todos os níveis!

de 2004...

...despeço-me cheia de energia.

Este foi o ano em que mais viajei, das coisas que mais gosto de fazer. Tive oportunidade de ir até Andorra surfar sem me magoar e de passar 10 dias em Itália onde conheci cidades lindíssimas que me deixaram com ainda mais vontade de lá voltar.

Este foi o ano em que me despedi de um emprego para fazer aquilo que gosto - investigação. Foi uma escolha difícil, visto que em Portugal só com muito amor à camisola se escolhe este caminho. Estou muito feliz com a escolha que fiz, para além de estar no caminho que tinha traçado para mim neste trabalho aprendi imenso, aceitei o desafio de dar aulas e descobri o gosto que tenho por ensinar e como é gratificante saber que fazemos a diferença. Acima de tudo tornei-me uma pessoa mais segura a nível profissional. Houve outros desafios que não pude concretizar, mas tenho o ano de 2005 já cheio de planos para os concretizar.

Foi um ano em que descobri o mundo dos blogs e algumas caras por detrás deles. Para além das amizades, que sei que perduram muito para além da blogosfera, com este blog aprendi também muito sobre mim, como se a palavra escrita me obriga-se a olhar para mim própria.

Foi um ano de algumas desilusões na relação com os outros, de descobrir que nem tudo é o que parece, de perceber que as emoções nem sempre se controlam... por isso mesmo são emoções. Mas foi também um ano que descobri que o amor vale por tudo.

Foi um ano bom... cresci muito, aprendi mais ainda e apesar de ter a consciência que tenho ainda tanto para aprender, é feliz que me despeço de 2004.

Ps. Em relação às resoluções de Agosto, já tenho a minha máquina fotográfica digital e no principio do ano devo ir à neve ;), não perdi kilos nenhuns (Grrr), realmente ponderei em comprar carro ou casa e para já nem uma coisa nem outra, foi uma desportista assídua e só não arranjei uma actividade radical porque não tive tempo... mas posso considerar radical dar aulas? certo? quanto às dúvidas... essas são mais controladas mas não deixam de existir... mas também quem na vida não tem dúvidas?

Parabéns

às minhas duas cunhaditas. Uma faz aninhos hoje, a outra acabou agorinha o curso! Muitos, muitos parabéns às duas. Hoje é portantoS dia de FESTA!!!

já falta pouco C.

é só um par de horinhas, muitos nervos... e nasce mais uma engenheira! estou a torcer-me toda por ti, boa sorte, parte uma perna e muita m#&$@!

miminhos da mamã

À 3 semanas que andava constipada e nem por isso parava para descansar, escusado será dizer que sou péssima doente, não quero tomar medicamentos, não bebo chá, não descanso, não nada. Ontem fiquei de molho, o dia in-tei-ri-nho de cama com chazinhos, medicação e miminhos da mamã. Que bem que me soube! Hoje estou outra, sinto-me muito melhor... mas estive quase a fazer ronha para ficar em casa no quentinho dos miminhos da mamã.

Ps- as mães têm sempre razão!

segunda-feira, dezembro 27, 2004

momento do dia

acabei de entornar lexívia por mim abaixo (ou por mim acima... tanto faz!). se ela estiver tão activa como tem estado nas minhas experiências, tá-se bem! Mania a minha de não usar bata! Grrr...

Natal

Foi um Natal Feliz, um Natal principalmente de reencontros, de amigos que já não via há imenso tempo, de recordar os bons velhos tempos e todas as nossas aventuras... o 8º ano é definitivamente um marco na minha vida. Foi um Natal com os avós e com muito carinho, com brilhozinho nos olhos. Foi um Natal de docinhos e beijinhos e muitas prendinhas... mais do que as que merecia!

Ps. obrigada a todos pela prendinha!


terça-feira, dezembro 21, 2004

não me parece

que fechada no teu quarto irás encontrar as respostas para as tuas perguntas. há um mundo inteiro cá fora, amigos que te conhecem na medida em que te deixas conhecer... somos todos humanos, todos nós cometemos erros e todos os dias aprendemos mais um pouco quando da partilha das nossas vidas fazemos a nossa amizade e cumplicidade. Não te esqueças que muitas vezes é no confronto das nossas vidas que aprendemos um pouco mais sobre nós. muitas vezes é nos outros que nos vimos a nós próprios. Pensa nisso.

segunda-feira, dezembro 20, 2004

por esta altura...

já devia ter os presentes todos comprados e cuidadosamente embrulhados, mas na realidade não estão nem embrulhados nem comprados e nem me apetece pensar no que vou oferecer! Este Natal não me sabe a Natal.... não sei o que se passa comigo mas não me sinto nada natalícia. Acho que vou ter que passar uma tarde inteira a fazer filhoses do ferro para me aperceber que estou efectivamente no Natal.

Parece-me que é tarde...

... para acertar as coisas que deviam ter sido feitas: ajustar as peças do presente nessa mesa onde se acumulavam copos e papéis; separar as questões que os dedos escondiam das respostas que entravam pela boca do desejo, até um êxtase de mão e olhos. Contei as queixas, transformei-as na mais doce das celebrações, arrastei o instante até á berma da eternidade: e trouxe de volta a mais dolorosa das ilusões. De cada vez, porém, era único esse tempo nascido de uma partilha de lugares; e não dei pelo vento que soprava de dentro da vida, levando em direcções diferentes os passos que nos juntavam.

Nuno Júdice

na minha listinha...



Poesia reunida de Nuno Júdice... porque tem sido uma surpresa desbravar os seus poemas!

sexta-feira, dezembro 17, 2004

hoje... é já um dia de sol

Temos sorte que o tempo não se compadece nem com as nossas tristezas nem com as nossas alegrias. Segue um dia atrás do outro, incessante! Há sempre um amanhã... e o tempo cura tudo, não é?

quinta-feira, dezembro 16, 2004

isso é que são modos? ; )

- olha lá ò ranhosa...queres vir jantar lá a casa no sab com a L e a S?

é de família.... só pode!

cenas da vida conjugal (ou quase!)

- hello...terra chama soff. acho que de vez em quando tenho que te trazer à terra , parece que vives na lua.
- helllloooo.... só agora percebeste? sou aquário...duh!

não é fácil viver comigo ;)

mais uma análise cheia de fundamento!!

Seu Arcano Pessoal é:

5 - O PAPA

Palavras-Chave: Moral e Cultura

* Acontecimento marcante a nível psicológico aos 5 anos de idade; Deve ter sido... mas não me lembro!
* Senso moral, ética e dever; Yes sir! (digo eu batendo a pala)
* Questiona tudo e todos; xiiii... aqui apanharam-me
* Espírito filosófico e religioso; filosófico ainda vá lá... religioso?!
* Cuidado ao seguir dogmas ou doutrinas; não caio nessa... lembram-se que eu questiono tudo e todos.
* Ciência; Nem podia ser outra coisa
* Gosta de ensinar tudo o que sabe; confessa... andaste a ler o meu blog
* Interesse por assuntos ligados ao Universo e Deus; mas que insistência com Deus... ainda vou para freira!
* Seriedade; Com conta, peso e medida...muaaaahhhhh.
* Idéias e convicções fortes; Sim!
* Pai ou avô como instrutor ; Não! completamente Não!
* Precisa cicatrizar velhas feridas; e quem não precisa?
* Aristocracia; sim... e eu em cima de um pedestal, não era giro?
* Fé poderosa; ai, ai, ai... aminha vidinha... querem cá ver...
* Aprenda sempre a ouvir a voz interior; obrigada (diz a minha vozinha interior)
* Evite o formalismo; ...na boa!
* Poder pela comunicação; ... a ver vamos
* Dom de curar, principalmente pelo VERBO; ... faço por isso quando não tenho mais nada com que ajudar
* Sintonia interior; Tem dias...
* Respeito e postura; Respeito é muito importante .... a postura é que é assim um bocadinho costas tortas!
* Aprecia estudar e debater assuntos de interesse; sim!
* Idealismo; SIM
* Cuidado com papéis ou documentos; e notas?
* Ansiedade; tenho dias...
* Atenção quanto às coronárias, medula, circulação sanguínea; ... é verdade, ando aqui com uma....
* Sentimento histórico; ãh? ké?
* Relacionamento afetivo com pessoa mais madura e que instrua ou ensine; cof... cof
* Supremacia intelectual; Eu é que sou o presidente da Junta...
* Desejo de estar em acordo com todos; é bom... ganhamos todos
* Não revele seus planos aos outros; não?
* Livros são uma paixão; yap, yap
* Organize-se; ok... é só acabar isto e vou já trabalhar
* Administração de bens ou posses; administro para mim...pois claro
* Passa credibilidade; carinha de santa... não mata uma aranha (pois não! Aspiro-as.)
* Pragmatismo ou ceticismo; hummmm....
* Empenha-se com amor em tudo; nada se faz sem amor
* Evite o absolutismo; tem toda a razão!
* Aprenda a colocar seus sonhos em prática ... fiquei sem palavras ; )

o que diz o teu nome aqui, via

quarta-feira, dezembro 15, 2004

das palavras que escreves

gosto da forma como as palavras transbordam de ti... ou tu das palavras, eu já nem sei. gosto da forma como te dás a elas e a generosidade com que elas se moldam a ti. gosto da forma como brincas com as palavras e como elas me fazem cócegas na nuca. gosto de, tantas vezes, me rever no que escreves e fazer dos teus textos um espelho do que sinto. gosto de fazer da tua escrita a minha leitura.

em prospecção

palavra estranha esta...

do Lat. prospectione, visão sobre o futuro
sondagem para descobrir o valor económico de um jazigo ou de uma região mineira.


Realmente... se não for a minha morte é o meu grito de Ipiranga!

Ps. post a desencriptar brevemente.

terça-feira, dezembro 14, 2004

acabaram as aulinhas

se por um lado sinto um grande alívio por as aulas chegarem ao fim e não ter que passar noites mal dormidas em stress, sei que este alívio é apenas momentâneo e não tarda nada (mesmo nadinha!) vou sentir saudades. Para além da matéria que coloquei em ordem na minha cabeça, deu-me um gozo imenso ter transmitido estes conhecimentos e ter recebido em troca o gosto com que os meus alunos acompanhavam as aulas e as matérias, enfim... o gosto que tinham em aprender. Sei que em parte, pequena talvez, fui eu que lhes transmiti esse gosto. Consegui fazer a diferença e isso faz-me muito feliz.... muito mesmo!

PS- acho que descobri uma vocação ;)

segunda-feira, dezembro 13, 2004

na minha listinha...

o contador ali do lado vai chegar aos 4000 antes do natal... pelo menos ;)

será que...

acabei de sentir um tremor de terra ou foi só impressão minha?

o amor?

"... Acontece quando alguém se reconhece noutro, até ao ponto de perder a certeza da sua indentidade. Até já não saber se tem uma identidade. Acontece por tudo e por nada. Em tudo e no nada. Num movimento de olhos ou no gesto suspenso de uma mão. Num beijo terno, em muitos beijos imaginários. Numa palavra que se diz, em palavras que se pressentem."
João Lopes, in Uma pele contra outra pele, Diário de Notícias de 11/12/2004.

roubado daqui

e claro...

o teu gato felpudo, não confundir, é a coisa mai linda!



blogo-girly-christmas-dinner

(elas já disseram quase tudo)

em casa da Lénia às 8 (9 para as lilis). Azáfama de um lado para o outro a preparar as iguarias, pelo meio ainda houve tempo para empurrar o carro da Sónia (nada como um exerciciozinho antes de jantar para abrir o apetite), muita cantoria e algumas sing stars a serem descobertas, muito party e uno, muito tricot de malha e tricot de lili e claro as prendinhas da Sofia


e da Inês



Muitos sorrisos... ah e a surpresa também foi gira ; )!

sexta-feira, dezembro 10, 2004

tatoo

(...)

quando o sol me toca a curva do pescoço,
sinto o calor como um abraço teu,
feito de sussurros que sinto colarem-se à pele.

permaneces em mim, para além do óbvio.

(...)

finalmente o natal chegou...

Com todo este sol quase me esquecia de fazer a árvore de Natal, lá em casa ninguém tem paciência para a decorar e acabo por ser eu a cuidar disso, se eu me esqueço não sei o que será do Natal. Também já comecei a comprar os presentinhos, o que quer dizer que a conta caminha a largos passos para dois dígitos!
Continuo, no entanto, à procura do espírito de Natal... alguém o viu por aí?

quinta-feira, dezembro 09, 2004

terça-feira, dezembro 07, 2004

runaway

(...)

eliminar todos as certezas, principalmente estas que me colocam em dúvida de tão certas que as sinto, de tão impensáveis que me parecem, de tão ridículas da forma como se assumem. riscar por cima do sonho. abreviar as amplitudes do desejo. acalmar a ânsia com que respiro o ar ás golfadas. ser serenidade, fingir que até aprendo com isso.
...
Em fuga para a frente e perceber que não existem passos que me levem a outro qualquer lugar.

(...)

post da inveja

(depois não digam que não avisei!)

Não tenho fotos do fabuloso, espectacular concerto dos the Gift, ontem no São Luiz. eu empoleirada lá de cima do balcão, desta espectacular sala, completamente vidrada nos sons, até me doem as mãos de bater palmas, só gostava de ter dançado mais...
também não tenho fotos do espectacular crepe com gelado que comi na hagan-daz do chiado, dois minutos antes de entrar para o concerto...

e também não tenho fotos das olheiras que trago hoje por me ter levantado às 6 da manhã, ok! ;)

PS- brigada xandra!

segunda-feira, dezembro 06, 2004

e daqui a 3 horas...

I want (more than) 5 minutes of everything...

mais intraduzíveis

para a juntar a estes

ilunga, termo do idioma Tshiluba" da República Democrática do Congo, que significa "aquele que está disposto a perdoar uma vez, duas vezes, mas nunca uma terceira"

Shlimazi, palavra Ídiche para "alguém que tem sempre azar"

e espantem-se...

Saudade, a nossa palavra não tem tradução directa, significa "a certain type of longing" fora de Portugal.

Ps- mais intraduzíveis procuram-se!

com o gang...

dos blogs é o divertimento garantido ou o seu dinheiro de volta!

sexta-feira, dezembro 03, 2004

Em quem pensar, agora, senão em ti?

Tu, que

me esvaziaste de coisas incertas, e trouxeste a

manhã da minha noite. É verdade que te podia

dizer:"Como é mais fácil deixar que as coisas

não mudem, sermos o que sempre fomos, mudarmos

apenas dentro de nós próprios?" Mas ensinaste-me

a sermos dois; e a ser contigo aquilo que sou,

até sermos um apenas no amor que nos une,

contra a solidão que nos divide. Mas é isto o amor:

ver-te mesmo quando te não vejo, ouvir a tua

voz que abre as fontes de todos os rios, mesmo

esse que mal corria quando por ele passámos,

subindo a margem em que descobri o sentido

de irmos contra o tempo, para ganhar o tempo

que o tempo nos rouba. Como gosto, meu amor,

de chegar antes de ti para te ver chegar: com

a surpresa dos teus cabelos, e o teu rosto de água

fresca que eu bebo, com esta sede que não passa. Tu:

a primavera luminosa da minha expectativa,

a mais certa certeza de que gosto de ti, como

gostas de mim,até ao fundo do mundo que me deste.


Nuno Júdice

na minha listinha...


porque sim!

à T.

De Tudo, Ficaram Três Coisas:

A certeza de que estamos sempre começando...
A certeza de que é preciso continuar...
A certeza de que seremos interrompidos antes de terminar...

portanto devemos

fazer da interrupção um caminho novo...
Da queda um passo de dança...
Do medo, uma escada...
Do sonho, uma ponte...
Da procura... um encontro"


Fernando Pessoa

quinta-feira, dezembro 02, 2004

na minha listinha...



Uma mão cheia destas coisinhas... e telas graaaaaandes, uma verdadeira artista portantoS!

até já

Tenho tantas saudades tuas que quando te encontrar vou apertar-te num abraço que dure pelo tempo todo que não nos vimos, pelas coisas que não partilhámos, pela amizade que mesmo a distância e o tempo não alteram. E sei que quando o abraço acabar, vai ser como se ainda ontem nos tivéssemos visto e o amanhã seja um dia para partilharmos. até já!

a repetir

Eu sei que o tempo é um sacaninha, que passa a correr e não deixa espaço para mais encontros, mais conversas, mais cumplicidades! Mas, de quando em vez, abre uma brecha. Ontem foi a grande reunião dos parzinhos, sim... Our trio is down to zero. Os meus pãezinhos de alho tiffosi estavam quase melhores que os do tiffosi, a lasanha da Taty estava uma delícia e o cheese cake (que devia ser tiramisú) da martocas estava supremo, mas já só pude comer metade... foi muito bom... e os rapazes só ganharam ao Party porque são uns grandes batoteiros!

terça-feira, novembro 30, 2004

aviso á navegção

este blog encontra-se em piloto automático.

na minha listinha...


esta faço questão de ser eu própria o meu pai natal... uma prenda de mim para mim, não fosse eu uma apaixonada por fotografia!

segunda-feira, novembro 29, 2004

amanheci...

cinzenta como o tempo e continuo á espera de um raio de sol que me desprenda o sorriso.

na minha listinha...



Só peço que não seja azul, não quero fazer pan-dan com o resto do equipamento e acabar por parecer um piriquito na neve ;)

domingo, novembro 28, 2004

Não...

...havia neve na Serra... só mesmo o frio e o belo do Queijinho!

sexta-feira, novembro 26, 2004

bom fds!

eu vou ali até ao centro do país bater umas palmas e dar uns beijinhos, jantar no meio dos chiques (ainda nem sei o que vou vestir... pânico!), com sorte ainda vou até ao cimo da Serra e se houver neve ainda faço uns deslizes e umas curvas!!

Bom fim de semana para vocês também!

PS. Ai que saudades que eu tenho de ir á neve! Tens razão môri... temos de ir à neve ainda antes do Natal!


esteve uma linda tarde

para passear por aqui...



Obrigada pela visita guiada... Sr. Engº Peixe ;)

a brevidade:

por vezes, a mais longa das linhas do tempo, cruzando-se com o desejo de permanência que sustenta a sua ilusão. Logo, porém, a realidade nos impõe a sua regra. O que é transforma-se no que foi, com a melancolia que arrasta o sentimento da passagem, como se o rio pudesse parar para sempre no instante em que a felicidade parece suspender o seu curso.

Nuno Júdice
Pedro, lembrando Inês

na minha listinha...



Não vai ser fácil, porque acho que já nem se comercializa... mas continua a ser o meu perfume preferido!

- o que tens aí?

- são madeixas, senhor!

ps. é desta que o namorado me rifa! ;)

piqueno à parte

não gosto nada que dêem nomes de pessoas aos animais. Ainda que escolham nomes pouco comuns como Camila, Jaquina ou nomes de pessoas conhecidas como Brad Pitt, Maradona, Tolstoi, Einstein... a coisa ainda passa, agora Catarina, Maria, André, Inês acho que já é demais. Ás tantas nem se percebe muito bem do que é que se está a falar.
Não me interpretem mal eu adoro animais... estive mesmo para ser veterinária, mas acho que há nomes tão engraçados que não precisamos de dar nomes comuns, acho mesmo que essa mania de os compararmos aos humanos só os desvaloriza. Eles são lindos por si só!

quinta-feira, novembro 25, 2004

...

Dois amantes felizes não têm fim nem morte,
nascem e morrem tanta vez enquanto vivem,
são eternos como é a natureza.


Pablo Neruda

quarta-feira, novembro 24, 2004

há dias assim

O dia não começa bem quando acordamos e reparamos que já devíamos estar a sair de casa.
O dia não melhora quando passo pela Segurança Social e descubro que tenho uma montanha de dinheiro para pagar, muito menos quando não percebo porque o faço... não tenho direito a subsídio de desemprego, quanto a cuidados de saúde prefiro o meu seguro de saúde e quanto á reforma... duvido e-ó-dó que alguma vez a receba, portantoS... sou uma cidadã exemplar e vou para o céu!
O dia começa a andar mais depressa quando vou beber o meu café matinal no sítio do costumo e só depois de o pedir me lembrar que já tinha bebido café com a minha mãe à 10 minutos atrás!
O dia continua amaldiçoado quando o autocarro nunca mais chega, mas eu nem sei quanto tempo está a demorar porque me esqueci do relógio... tá-se!

A coisa até estava a correr bem.... mas chego ao site metter e descubro que pela segunda vez sou visitada pelo Governo dos Estados Unidos... é pá, isso é que não!

muitas saudadinhas


de dormires todas as noites aos meus pés,
de colocares o teu focinhito nas minhas pernas a pedir guloseimas,
dos teus beijinhos,
de te deixares repousar nos meus braços (mesmo quando para ti era um frete!),
de correres para me apanhares,
de te zangares quando te levavam para fora de pé, na praia,
de me saltares para cima de alegria,
de ir contigo ao café,
de me despedir de ti cada vez que saio de casa (nem que seja para despejar o lixo)
de te dar ao banho...ao mesmo tempo que me davas banho a mim,
de te soprar para as orelhas e te ver morder o vento,
da tua alegria só por me veres,
de todas as tuas expressões, claras como palavras,
dos teus mimos quando estava doente,
da tua companhia,
de ti.
tenho saudades do meu bébé...


(re-post)

Porque as saudadinhas são mesmo muitas e todos os dias sinto muito a tua falta.
Porque hoje passou um ano desde que te dei o último abraçinho que soube a pouco porque faltou dar mais um, aquele que no último segundo ficou no ar, para o qual eu não voltei atás certa que tinha ainda todo o tempo do mundo para to dar!

terça-feira, novembro 23, 2004

segunda-feira, novembro 22, 2004

a minha amiga ganhou um prémio

e eu vou estar lá para a felicitar, aplaudir, assobiar (hum... é melhor não porque isto vai ser coisa fina e não fica bem) e abraçar e o que mais houver, que isto das amizades não é só para dar almocinho insípido de hospital à boquinha da menina... chegou a hora de Jantar com requintes de gente fina!

PS: miga, EU vou estar lá com o maior dos prazeres, muito, muito orgulhosa de ti... aliás, completamente babada! Nem preciso dizer o quanto mereces este prémio... podes começar a preparar o discurso! ; )

domingo, novembro 21, 2004

em memória das vítimas

Porque não são só aqueles que morrem que são recordados. Nesta história todos participamos.

Acho que nunca acreditei que algo de fatal te pudesse acontecer e por isso nunca entrei em pânico. E mesmo quando, no S.O. do hospital, me tentavas falar com uma voz que não era tua pelo meio de uma tosse estúpida, fiquei mais descansada só por te ver e saber que ainda te podia tocar. Levei-te um ursinho com um trevo para dar sorte, mas a enfermeira não deixou que ele ficasse contigo. Como um prenúncio. Passado um dia voltaste para casa... cedo de mais. Continuavas com uma voz que não te reconhecia e continuavas a tossir imenso. Nesse mesmo dia foste de urgência para o hospital... uma hora mais tarde e seria tarde demais. Um pulmão perfurado que te afogava e ningém deu por isso. Ficaste nos cuidados intensivos por alguns dias. Quando te fui visitar tive que vestir uma bata e lavar as mãos muito cuidadosamente e ouvir religiosamente o que me dizia o médico de serviço. Estavas na ala principal dos CI com uma parafernália de equipamento com gráficos por todo o lado e pipi´s que não paravam, os médicos não se mexiam portanto devia ser normal, fiquei mais descansada. Ali senti que ficarias bem, cheia de tubos e fios... mas bem. Aqui, um pouco reticentes, deixaram ficar o ursinho da sorte que felizmente ainda hoje guardas.
A minha amiga esteve ás portas da morte não só por um traçado mal feito, por um condutor em excesso de velocidade mas também pela assistência médica negligente.

Felizmente esta história tem um final feliz... mas não nos podemos esquecer que nem sempre é assim. Nesta história todos temos um papel e uma palavra a dizer. Temos todos de ser mais responsáveis!

sexta-feira, novembro 19, 2004

LINEU!! isso não é um rato!



Grrr... LINEU!! isso é um acessório informático, não mexe... please?

seeeca!

A ida ao norte em trabalho seguida de uma semana de trabalhinho intenso... facilmente constatada pela poobreza (sotaque brasileiro P.F.) dos posts, faz-me questionar o que de interessante se passou nesta semana? hum... aaaaah.... hum.... já faço body pump com 4,5Kg em cada lado e consigo fazer 15 flexões... seguidas!.UAU... viva eu!

(eu, a sair de fininho para ir jantar fora-cinema-café-discoteca- praia (ups, tá frio)-ãh...neve-...qq coisa... please!)

Bom fim de semana para vocês também!
;)

quinta-feira, novembro 18, 2004

há aqui qq coisa que não bate certo!

o namorado diz que tenho que começar a comprar cremes para as rugas (de expressão como é óbvio, é que eu gosto muito de me rir), os meus alunos dizem que tenho cara de miúda!
hummmmm...

ouve o meu sorriso...

queria dizer-te...
muito, tanto!
mas são frágeis as palavras,
têm arestas que ferem
e oxidam em contacto com o exterior.
Essas coisas que te não digo
muitas, tantas!
mas são pequenas as palavras.
sei que não tenho outras e
estas estão gastas.
Um mundo inteiro para te contar
e um único sorriso para to dizer!

consegues ver-me sorrir?

quarta-feira, novembro 17, 2004

mmmuuuuahhhhhhhhhhhh





You Are a Pundit Blogger!



Your blog is smart, insightful, and always a quality read.
Truly appreciated by many, surpassed by only a few
.



roubado daqui, que roubou já nem sei de onde!

( )

o que é que anda por aí nos cinemas que seja bom?
para além das pipocas está claro!

um rosto

Apenas
uma coisa inteiramente transparente:
o céu, e por baixo dele a linha obscura do horizonte
nos teus olhos, que pude ver ainda
através de pálpebras semicerradas, pestanas húmidas
da geada matinal, uma névoa de palavras murmuradas
num silêncio de hesitações. Há quanto tempo,
tudo isto? Abro o armário onde o tempo antigo
se enche de bolor e fungos; limpo os papéis,
cartas que talvez nunca tenha lido até ao fim, foto-
grafias cuja cor desaparece, substituindo os corpos
por manchas vagas como aparições; e sinto, eu
próprio, que uma parte da minha vida se apaga
com esses restos.

Nuno Júdice

terça-feira, novembro 16, 2004

segunda-feira, novembro 15, 2004

mais a norte...



as paisagens enchem-se de animais que passeiam por estas paisagens...



tipo BBC vida selvagem... o que vale é que, ao que parece, são mansas!



as cascatas bem no centro do Parque Natural do Alvão...



as típicas aldeias com...



os típicos espigueiros.



as cores do outono...



e do outro lado o douro!

absolutamente fantástico!

voltei...

...completamente apaixonada!

Conheci paisagens espectaculares, convivi com pessoas verdadeiramente interessantes, comi (e bebi) coisas muito boas e diferentes, aprendi muito, muito...imenso mesmo! Fosse eu, aqui, escrever tudo o que aprendi e nunca mais daqui saía, vou deixar só aqui alguns tópicos das coisas mais interessantes que fiz:

- Visitei o Parque Natural do Alvão e descobri que tem cascatas bem escondidinhas, maravilhosas
- andei á procura de plantas carnívoras... mas não encontrei!
- bebi água das fontes... que diz a tradição é garantia de voltar!
- comi marmelada de cogumelos.
- Jantei dentro de um Tonel de Vinho
- aprendi a distinguir os diferentes tipos de Vinho do Porto
- aprendi a identificar mais árvores e vi algumas que ainda não conhecia
- Almocei por cima do Rio Douro

o que mais gostei foi das cores das árvores e videiras que por lá se encontram, que por cá não vimos por não fazer frio suficiente... fiquei apaixonada!

Cada vez gosto mais de Portugal!

PS. a fotonovela segue já de seguida


domingo, novembro 14, 2004

14/11

Dia em que conheci o meu môr lindo e o dia em que oficialmente acabei o curso, há seis e dois anos, respectivamente!

segunda-feira, novembro 08, 2004

sem tempo e sem cabeça

sem tempo (Esta é a semana que tenho que dar mais aulas, fazer um exame de leis ir até ao Norte de Portugal e voltar) e sem cabeça (aliás, eu tou com cabeça porque estou com uma dor tremenda que mo lembra, mas adiante!) para escrever.
fico-me com os poemas. até já!

Ps. tenham uma boa semana também!

Plano

Trabalho o poema sobre uma hipótese: o amor que se despeja no copo da vida, até meio, como se o pudéssemos beber de um trago. No fundo, como o vinho turvo, deixa um gosto amargo na boca. Pergunto onde está a transparência do vidro, a pureza do líquido inicial, a energia de quem procura esvaziar a garrafa; e a resposta são estes cacos que nos cortam as mãos, a mesa da alma suja de restos, palavras espalhadas num cansaço de sentidos. Volto, então, à primeira hipótese. O amor. Mas sem o gastar de uma vez, esperando que o tempo encha o copo até cima, para que o possa erguer à luz do teu corpo e veja, através dele, o teu rosto inteiro.

Nuno Júdice

sexta-feira, novembro 05, 2004

o que querem?! estou numa fase poética...

ecloga

Sonhei
contigo embora nenhum sonho
possa ter habitantes, tu a quem chamo
amor, cada ano pudesse trazer
um pouco mais de convicção a
esta palavra. É verdade o sonho
poderá ter feito com que, nesta
rarefacção de ambos, a tua presença se
impusesse - como se cada gesto
do poema te restituísse um corpo
que sinto ao dizer o teu nome,
confundindo os teus
lábios com o rebordo desta chávena
de café já frio. Então, bebo-o
de um trago o mesmo se pode fazer
ao amor, quando entre mim e ti
se instalou todo este espaço -
terra, água, nuvens, rios e
o lago obscuro do tempo
que o inverno rouba à transparência
da fontes. É isto, porém, que
faz com que a solidão não seja mais
do que um lugar comum saber
que existes, aí, e estar contigo
mesmo que só o silêncio me
responda quando, uma vez mais
te chamo.

Nuno Júdice

Afinal estou na profissão certa!

AQUÁRlO :UMA PROFISSÃO DO FUTURO


O aquariano sai-se bem em profissões que exijam criatividade ( e muita imaginação... pois claro!). É atraído por áreas novas, que não tenham limites bem definidos (pois, e de vez enquando perco-me nê?). Não considera os riscos da novidade. Suas atividades devem afirmar sua independência, mas sempre junto de muitas pessoas (esta parte é que é mais complicada), com tecnologia moderna (por acaso sabem o que é um PCR e um Gel doc? não?... muito à frente, muito à frente) e o ser humano como o centro de interesses.

O EMPREGADO apresenta muita responsabilidade e não decepciona quem confia nele. Relaciona-se bem com seus superiores, mas necessita de liberdade de ação (eu, muito angelical).

O CHEFE é sempre muito fraternal, ajudando seus subalternos da melhor maneira possível (eu, mais que angelical).

O COLEGA mantém boas relações com os companheiros, sempre pronto a colaborar com tudo e com todos para o bem da empresa (eu, tão angelical que até enjoa!).

digam lá que não gostavam de ser meus coleguinhas, ou meus chefes ou mesmo serem chefiados por mim? hum?..hum?

O aquariano será mais criativo se exercer a função de:
astrólogo ...eu cá sou mais bruxa
astronauta, aviador ...medo de alturas, nem pensar
ceramista... nã tenho jeito
cientista... actividade principal
criador de animais... era para ter sido a minha actividade principal, tomo conta deles pelo menos e gosto!
eletricista ...nã... detesto mexer nessas coisa....medo!
escritor...ya, ya!
esportista dedicado a atividades ousadas... snowborder de montanha...serra...montes... pelo menos)
jardineiro...lá tem que ser, nê?
filósofo... filosofar até filosofo...lol
inventor... ainda não inventei nada
juiz... isso era o que o meu pai queria... teve azar
pescador... aquela coisa de meter a minhoca no anzol... nã!
pintor... sim, e paredes também!
político... nã, as minhas promessas cumprem-se sempre!
psicólogo... eu preciso de um, não de ser um
radiologista... detesto essa coisa de ver as pessoas por dentro
técnico de computação... não, já me chega amar um (não é técnico, mas tb mexe nessas cenas)
técnico de rádio e televisão... e posso aparecer?

quinta-feira, novembro 04, 2004

cenas da vida conjugal (ou quase)

- Mas eu não me apetece mesmo nada ir jantar ao chinês!
- Pronto. estou mesmo a ver... amanhã vais dizer no blog que não te faço as vontades!

como prometido ; )

o meu preferido

Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo.

Mal de te amar neste lugar de imperfeição
onde tudo nos quebra e emudece,
onde tudo nos mente e nos separa.

Sophia de Mello Breyner e Andersen

um poema...

é um composto de relâmpagos de linguagem que nos permite quebrar o vidro fosco do tempo e descrever as cores e a vibração das almas.

Inês Pedrosa in Prefácio de Poemas de amor


quarta-feira, novembro 03, 2004

Eu, hoje, assim...


ao almoço



Há um lago verde (como podia ser azul) e há peixes de muitas cores que estrabucham quando lhe atiramos com um pedaço de pão. Há libelinhas azuis e vermelhas que contrastam com as árvores. Há uma mesa decorada a vermelho onde nos sentamos e soltamos a conversa debaixo do nosso tecto azul. Há alegria nos pormenores e há sorrisos para o resto do dia. bonne apetit.

terça-feira, novembro 02, 2004

estou ainda na hora antiga

O que me parece vantajoso... mas me faz constatar que uma hora a mais continua a não chegar!

domingo, outubro 31, 2004

o gang dos blogs volta a atacar

Sexta à noite, algures em sintra este gang de letrados viciados em escrita duvidosa voltou a atacar. Testemunhas acusam-nos de se encontrarem em amena cavaqueira espalhando o terror nas suas gargalhadas, algumas afirmam mesmo que houve quem se atrevesse a cantar "eu reparei numa que cantava umas 3 notas acima". A principal vítima deste ataque, o papagaio de churchill, foi encontrado ligeiramente alcoolizado e em estado de choque, não parando de dizer mas o que é que eu fiz? o que é que eu fiz?. Depois deste caricato episódio Sintra nunca mais será a mesma. Tenham medo, muito medo!

sexta-feira, outubro 29, 2004

today I stay

(...)

A rapariga sozinha, de olhos abertos fixos nos fiapos de nuvens que percorrem o céu. Pensava que podia saltitar de nuvem em nuvem, bastava que fossem bastante espessas para aguentar o seu peso e ao mesmo tempo flexíveis para a poderem impulsionar para a nuvem seguinte, assim como um trampolim. E ficou assim durante muito tempo, a delinear o caminho no céu que se tornava laranja à medida que o sol descia no horizonte. Estava a ficar tarde e ainda não tinha conseguido escolher o caminho, amaldiçoou o sol por a obrigar a apressar-se na sua tarefa. Levantou-se e partiu. Não será hoje, mas um dia chegarei ao meu destino!

(...)
e para um crepe também!

ehehe

já tenho companhia para ir comer uma colherzinha (não é um balde, ah!) de gelado na haagen Daz do chiado... ehehe!
trabalho para fazer até lá: escolher o sabor! wiiiiii

on hold

... á espera de alguém, um telefonema, uma carta, uma viagem, um abraço, um beijo, um sorriso, um olhar, à espera do futuro... a minha vida on hold!

não fosse...

eu ter conseguido chegar a horas à aula de body pump (isto é, como sempre só perdi o aquecimento) e a minha neura só tinha passado com um balde de gelado haagen dazs de strawberry chesse cake! era até enjoar...
e agora que penso bem na coisa... acho que a neura ainda não me passou! hummm... talvez
Bonafee? e tu?

quinta-feira, outubro 28, 2004

Vila Real???

não sei se me apetece muito! não se podia arranjar uma viagem de trabalho melhorzita? não?!!
Bom, vou ter que me render aos encantos do Norte de Portugal!

quarta-feira, outubro 27, 2004

a minha praia




que saudades!
(agradecimento especial à clau que me mandou esta foto maravilhosa da minha praia! alguém sabe onde é?)

verdades absolutas

aquilo a que resistes persiste!

que cosa es el amor...

medio pariente del dolor,
que a ti y a mi no nos tocó,
que no ha sabido ni ha querido ni ha podido.
Por eso no estás conmigo...

Porque no nos conocimos
y en el tiempo que perdimos
cada quien vivió su parte
pero cada quien aparte.
Porque no puede apagarse
lo que nunca se ha encendido,
porque no puede ser sano
lo que nunca se ha podrido.
Porque nunca entenderías
mis cansacios mis manías,
porque a ti te dio lo mismo
que cayera en el abismo.

Este amor que despreciaste
porque nunca me buscate
donde yo no hubiera estado
ni me bubiera enamorado

por eso no estás conmigo.
por eso no estoy contigo.

Liliana Felipe

terça-feira, outubro 26, 2004

the winter me

agora que chega o tempo frio a li@ (que é friorenta) muda de visual e fica a combinar com a nova estação!

não consigo...

ouvir a minha rádio nem postar as fotos. grrrr
(e assim se faz um post!)

segunda-feira, outubro 25, 2004

divagações....é o que é!

não há coincidências

ou há?

Porque acredito que tudo acontece por uma razão, não acredito em coincidências. Temos a família que temos, os amigos que temos por uma razão, as pessoas que se cruzam na nossa vida vêem para nos dizer algo, até mesmo aqueles que sentam ao nosso lado no autocarro e das quais apenas ouvimos a conversa com o vizinho do lado. E de tempos a tempos percebemos a mensagem que o universo há muito nos tentava dizer por entre a multidão que se cruza connosco. E às vezes, tarde de mais ou mais tarde do que o devido, percebemos que essa mensagem já tinha sido dita vezes e vezes e só nessa altura a apreendemos, ou porque não a queríamos ver ou porque ainda não estávamos capacitados para a entender. o único receio que tenho não é perceber porque é que me aconteceu isto? mas sim qual é a mensagem que tiro daqui?
Não é uma forma melhor de levar a vida... é apenas diferente!

( e prontoS, hoje deu-me para isto! acho que é porque estou á espera de uma resposta que não chega nunca e ainda não consegui perceber porquê!)



Começa assim...

Quando é que morrem os mortos? Quando nos esquecemos deles. Quando é que desaparece uma cidade? Quando já não existe na memória dos que nela moraram. Quando é que se deixa de amar? Quando começamos novamente a amar. Disso não há dúvida.

(...)

Laura Esquível in a Lei do Amor

quinta-feira, outubro 21, 2004

verdades absolutas: ser professor é aprender mais do que ensinar!

só te digo isto

Jámanta vai matar sandrinha!

(com sotaque S.f.f.)

ás vezes o amor é simples

Já passa da meia-noite quando me bates à porta. Vens em busca de um último fôlego que te faça valer o dia. Não precisas de muito. cansado, os meus braços servem-te de amparo e as minhas mãos nas tuas costas são uma canção de embalar. Adormeçes por breves minutos no meu colo. Isto chega para nos encher o coração e eu gostava que pudesse ser sempre assim.
love you!

quarta-feira, outubro 20, 2004

on my window



rain drops

rain drops falling on my head

Rain drops keep falling on my head

cantarolava eu pela rua abaixo com 2 kilos de água infiltrados na minha roupa
ao fim de cem metros as minhas botas também já levavam uns quantos cl.
e eu ria à gargalhada...tenho cá para mim que perdida por 100 perdida por 1000 e lá segui caminho a cantarolar.

I'm never gonna stop the rain by complaining.
Because I'm free.
Nothing's worrying me.
lalala

terça-feira, outubro 19, 2004

Sons

Uma das músicas que mais mexe comigo...e nem sei bem porquê! Vá-se lá entender estas coisas, mexe e prontoS! Lembram-se dela?


She's like the wind through my tree
She rides the night next to me
She leads me through the moonlight
Only to burn me with the sun
She's taken my heart
But she doesn't know what she's done!

Feel her breath on my face
Her body close to me!
Can't look in her eyes
She's out of my league!
Just a fool to believe
I have anything she needs
She's like the wind...


(...)

uma coisa boa à 2ª feira

Alias



20:30 AXN e ninguém me despega da TV!

Outono

Lá fora

Fica tudo muito mais cinzento e o vento corre mais vezes e mais depressa, e as árvores ficam algumas despidas e o chão cheio de folhas douradas, e ás vezes os caminhos ficam ribeiros e a erva fica mais verde. É Outono.

Cá dentro

apetece ficar na cama até mais tarde e, ás vezes, perlongar para a tarde e ficar a ver um filme entre o aconchego de uma manta e comer castanhas assadas cheias de sal intercaladas por beijos gulosos, e ás vezes gelado, e ver chuva lá fora a fazer riscos nas janelas bacilentas cá dentro. É verão...ou tenta-se que seja por mais um bocadinho!

segunda-feira, outubro 18, 2004

nem vale a pena tentar explicar

As segundas-feiras começam sempre da mesma maneira. Cheia de sono, sem saber o que vestir, cheia de coisas para fazer, aulas para preparar, cansada, stressada com a terça feira que se segue (que é dia de dar aulinhas)...grrr
eu já disse que odeio segundas feiras? disse! Pois então, repito....

I HATE MONDAYS

sexta-feira, outubro 15, 2004

fungágá da bicharada

e eu que só me lembro desta parte

(...)
e o elefante toneladas
que só comia saladas
(...)


perdida de riso, só podia!

arma biológica

Caprichosa a forma como a natureza arranja subterfúgios para aumentar a sua sobrevivência. Tenho na mão um fruto que à pequena dentada poderia provocar a morte...até estou com medo de lhe tocar, e pensando bem, o melhor será deitá-lo fora antes que alguém se ponha a brincar com ele. Esta é a beleza que reside na natureza e na sua biologia e que tanto me atrai...a sua capacidade de adaptação!

quinta-feira, outubro 14, 2004

a parafrasear a inha

(ou lá como isto se diz, deve ser assim!)

Mas vocês acham que tudo o que aqui se escreve é verdade verdadinha?
Mas vocês são doidos? Em que planeta é que vivem? Hum?
acordem para a vida.

(sempre quis dizer isto!)

isto hoje está complicado

basicamente, nos tempos livres faço o meu trabalho!
no resto do tempo...faço o trabalho dos outros e escrevo este post.

acordei...

... de óculos postos, pronta para a vida! é o que se chama, não perder tempo...nem para os tirar á noite, nem os colocar de manhã. O que vale é que foi uma noite calma, quando não acordava com eles enfiados na boca...ehehe

quarta-feira, outubro 13, 2004

ao acaso mas com todo o sentido

(...)

uma pessoa é uma pessoa diferente para cada um. Uma pessoa são muitas pessoas juntas numa só. Uma pessoa vai sendo várias pessoas ao longo do tempo e por vezes tem dificuldade em se reconhecer naquilo que foi. Fecha os olhos e vê-se parado no passado e fica espantado de se ver ali naquela companhia, naquele sítio a fazer o que já nem sabe como.

(...)

Pedro Paixão in Histórias verdadeiras

terça-feira, outubro 12, 2004

e se um dia eu disser...

(...)

que este calor não chega para me aquecer e queimar? que as palavras ficam rombas e sem significado? e que os nossos silêncio ficaram espessos? que as expressões em que te conheço se desvanecem como uma aguarela? que prefiro refugiar-me lá do outro lado do mundo e ficar incógnita, sem que ninguém me conheça a pele e os vícios? um sítio onde o sol nasce no lado errado e a luz me atravessa por outro ângulo?

e se um dia eu disser que já não quero estar aqui?

(...)

quero ficar assim

com o sol a queimar-me a pele do rosto, de nuca colada ao chão a ver as nuvens a emoldurar os momentos felizes da minha vida. a reviver tudo novamente. absorta. hoje sou saudade!

I'm so tired...again

não dormi nada esta noite, os nervos fizeram-me acordar de 10 em 10 minutos da meia-noite às 6 da manhã. Isto aliado a uma aula de 3 horas a descrever caules e folhas levam-me a questionar da importância de ter uma cama no local de trabalho. É que agora, nada me apetece mais que uma horinha de sono...só peço uma!

vou fechar os olhinhos...só um bocadinho...assim pequenin....só....zzzzz

segunda-feira, outubro 11, 2004

I'm so tired

...of being here
suppressed by all of my childish fears
and if you have to leave
i wish that you would just leave
because your presence still linger here
and it won't leave me alone...

começou o nervoso miudinho

e para me acalmar já apanhei um punhado de folhas de Lúcia-lima para fazer um chá. Ora folhas...folhas. As folhas são simples, subsésseis, inteiras, lanceolada de vértice acuminado e de base acunheada, com uma nervação peninérvia, com indumento do tipo hirsuto e de inserção no caule do tipo verticilada. Adoro o cheiro, faz-me lembrar um gelado que comi em Itália, que se usa entre os pratos de peixe e carne para limpar as papilas gustativas.

caneco...as coisas que eu sei! O melhor é ir beber o chazinho para ver se acalmo!

PS- para quem não percebeu, aquela pIquena discrição das folhas é a matéria para amanhã dar na aula...ehehe, até lhes saltam os olhinhos das órbitas!

Stop

isto hoje não está a correr lá muito bem...alguém para a mundo que eu quero sair?

I hate...

monday mornings!!
(humpf)

domingo, outubro 10, 2004

só para dizer...

adorei!

Cada vez me surpreendo mais com esta coisa da blogosfera e com as caras que estão por detrás! Sentamo-nos à mesa com pessoas que nunca vimos mas parece que já as conhecemos à anos, a conversa não se esgota e até as caras não me parecem estranhas...como se se moldassem ao respectivo blog.

Adorei!

PS- adorei a vossa ideia, prometo que para a próxima fico até ao finzinho e não me armo em gata borralheira!

sexta-feira, outubro 08, 2004

...

agora sim, o mau tempo chegou!

ai...ui...

ai... ui... ai...ui... ai...ui...ai...ui...

pareço o conde de white castle a andar

ai... ui... ai...ui... ai...ui...ai...ui...

doem-me os pés, caporra!o que é que pensaram, é que o senhor é mesmo muito afectado quando anda!

ai... ui... ai...ui... ai...ui...ai...ui...

sabe bem...

...poder estar no local de trabalho descalça!!


dia da burla

para começar bem o dia, no noticiário "prevê-se trevoada e chuva por todo o país, com tendência a piorar a meio da manhã"
logo, eu tenho de levar botas de inverno, chapeu e nem vale a pena levar óculos de sol! ya...certo!!
adiante

a meio da manhã...e nada de chuva, doí-me os pés e vou a caminho de uma Junta médica, para a qual sou voluntariamente obrigada a ir (não! não me enganei, é mesmo assim!) e pela qual paguei 25 euros. "conte-me o seu historial clínico enquanto lhe meço a tensão arterial". paguei 25 euros por me medirei a tensão??! ya...certo!!
adiante

"doí-me os pés das botas de Inverno em tempo de verão, por isso queria umas palmilhas...para não doer tanto"
levei com a cara de frete do vendedor, como se me tivesse a fazer um grande favor em me vender umas palmilhas a mais do dobro do preço a que eu costumo comprar. ya...tá-se bem!!

mais alguém me quer enganar hoje? Não? têm a certeza?? vejam lá...



quinta-feira, outubro 07, 2004

curiosa

...para ver a tua cara de felicidade!
eheh

should have been

(...)

viviam horas em abraços apertados, beijavam-se com paixão e sussurravam palavras doces, promessas, declarações...era tudo mágico e tudo mentira. Não acreditava em nada do que era dito e nunca deixou que as palavras e os beijos lhe tocassem, lhe entrassem por ela adentro e lhe roubassem um pedaço de si...pequeno que fosse. Sabiam o que queriam um do outro...que era nada, sabiam onde queriam ir...que era a lado algum. Sabiam em que mentiras se moviam e não podiam ser mais verdadeiros um com o outro. era tudo ...e não era nada.

(...)

quarta-feira, outubro 06, 2004

( )

só agora reparei que tenho o livro Vida de Adulto autografado pelo Pedro Paixão...himself!
helllo...??

last kiss

(...)

Quis beijá-la como se fosse a última vez, que na realidade era do que se tratava, como se fosse a última coisa que fizesse com paixão, o que não estaria muito longe da verdade, como se o mundo para ele fosse acabar...e ele sabia-o. Mas era mais o que desejava e o seu corpo sobrava-lhe agora neste beijo. A ela pareceu-lhe ouvi-lo dizer, ainda dentro da sua boca, “desculpa, meu amor”.

(...)

os brinquedos

acabou de chegar uma caixa enorme com montes de brinquedos para mim.
é a primeira encomenda do lab...e eu qual criança pequena já me estou a ver a desembrulhar, esfrangalhar e abrir!
tou tão curiosa!!!

sexta-feira, outubro 01, 2004

...

Sofremos muito com o pouco que nos falta e gozamos pouco o muito que temos...

William Shakespeare et moi aux mêmme!

( )

se eu quisesse comer clorofila mascava folhas de uma qualquer planta, não precisava de a comer em forma de tomate! deixem lá as coisas amadurecer sim?

(eu, a almoçar tomate para lá de verde!)

tudo está bem quando acaba bem

Quando nos fechamos em nós as coisas têm tendência a parecer muito maiores, muito mais difíceis, muito mais complicadas. Os últimos dois dias foram uma grande surpresa...quando achava que já não ia conseguir partilhar, as coisas precipitaram-se e aconteceram. Agora tenho de volta tudo o que me fazia falta porque, não sei de onde, veio a coragem de falar...(afinal ninguém pode adivinhar os meus pensamentos) e tudo ficou tão mais simples. e eu voltei a ser eu!

bolas que já tinha saudades minhas!

PS- já encontrei o anel e o rato já está a funcionar...falta de pilhas!

quinta-feira, setembro 30, 2004

da minha janela

o gato mai lindo!!!

e o rato?

para onde foi o rato do meu computador? hum?
mais alguma coisa se quer perder hoje?
hum? Não?

caporra!

o meu anel?

Já procurei por todo o lado...acho que perdi o meu anel...e eu sem o meu anel sinto-me nua!
Apesar de ter sido eu a oferecê-lo a mim própria e não ter nenhum significado especial...é o meu anel. Tenho muitos de pechebeque que vou usando de quando em vez, mas este é de prata e é o que uso quase sempre e que quando me esqueço passo o dia à procura dele nos dedos. É o meu anel!

ora se eu fosse um anel onde é que me esconderia??

quarta-feira, setembro 29, 2004

porque se matam as saudades

...e quando ainda pensas poder voltar atrás, também sabes que não é possível porque tu estás num mundo e ela noutro, os dois tão depressa se afastam, encerrados em planas fotografias em que estão abraçados e nus e já não somos nós.

Pedro Paixão in Nos teus braços morreríamos

terça-feira, setembro 28, 2004

nómada

Eu sou aquela que passou na vida
sem achar nunca o porto que buscava.
Eu sou aquela que andou dia a dia
numa constante, fatigante lida
presa nas malhas da melancolia,
querendo só o que não alcançava.

Eu sou aquela que buscando a glória,
entrou na luta sem saber lutar.
Rudes batalhas, lutas sem vitória,

contra outros e mesmo contra mim,
foram as que eu, arfante e a meu pesar,
travei com sombras sem razão nem fim.

Eu sou aquela que bateu às portas
de quantas ilusões a vida encerra,
nela buscando, a sós, de terra em terra,
novas raízes de fecundas vidas,
sempre as achando apenas convertidas
em mudas sombras de cidades mortas.

Nada encontrei do que alcançar quisera:
sumiu-se a luz de cada primavera
neste vazio de ambição faminta;
e, se o gosto provei da saciedade,
frustrada foi a minha ansiosa espera,
pois mais não tive, ao fim da tempestade,
que a inútil paz da minha lareira extinta.

Donde vem e onde vai este caminho
que me leva em tão estranha direcção?
a mão de Deus guiando-me adivinho
por entre o frio hostil da cerração.
Quando, na sina de ansiedade errante
que orienta a minha incerta caminhada,
sinto o cansaço do correr da vida,
volto-me a olhar a estrada percorrida...
e, silenciosa, vou seguindo avante.


Oliva Guerra in Silêncio (1956)

fazes-me falta

falta a palavra escrita,
faltam as conversas sinceras,
falta o nascer do sol,
faltam os teus dedos no meu cabelo,
falta o sol que me queima e aquece,
faltam as borboletas no estômago,
falta o meu rosto entre as tuas mãos,
faltam os silêncios que são tudo menos vácuo,
falta o ser um livro aberto para ti,
falta o abraço forte contra o meu peito,
falta o começar tudo de novo,
falta a tua respiração na minha cara,
faltam os teus lábios em sorriso e
falta o beijo que não demos!

sabes que me fazes falta?





yá tá

...correu bem, muito bem até. Foi uma aula estruturada e bastante natural. gostei, gostei muito!
Tou tão contenti!

segunda-feira, setembro 27, 2004

é já amanhã

que me vou estrear nas artes da docência! Só espero estar à altura e de alguma forma contribuir com a minha juventude (porque de experiência tenho pouca)para que a matéria lhes entre pelas cabecinhas mais facilmente(se fosse por osmose era mais fácil!).
A esta altura já estava á espera de estar em completo stress...mas na realidade só estou com um nervosinho miudinho engraçado, esperemos que seja bom sinal e que amanhã a voz não me trema.

troçam por mim!

sexta-feira, setembro 24, 2004

mas...

alguém explica a este marquês (aka Lineu)que o Lab não é local de descanso...muito menos para ele!




mas a sua companhia é tãoooo boa!

é assim a vida...

quando olhamos um lago calmo e sereno, podemos ver que a sua superfície se encontra lisa. Se atirármos uma pedra, ela faz uma série de ondas concentricas que se vão afastando até ficar a superfície, novamente, lisa. igual?
Não...a pedra já lá está! e nada voltará a ser o mesmo...apesar de aparentemente parecer que sim.

quinta-feira, setembro 23, 2004

memories

(plink)

um gato que se espraia lá fora, por baixo da nossa janela...aquele que tu gostas muito, que têm muitas cores todas entrelaçadas e que de cada vez que saímos a porta se coloca muito direitinho na sua pose, como se fosse um criado a despedir-se do seu amo...de ti.

(plink)

o teu neto, o mais velho...tem agora 27 anos. O cabelo cada vez mais claro e, apesar de dizeres o contrário, está cada vez mais magro. Está-se a rir porque desconhecia que eu sabia tirar fotografias. Tem muitas saudades tuas. Não sei se terá tantas como eu, mas é teu neto e precisa de ti...como eu preciso.

(plink)

a Arlinda, traz o saco das compras mais cheio que o costume...o marido anda adoentado e ela tem que fazer as compras todas de uma vez para não o deixar tanto tempo sozinho. Manda-te as melhoras e diz que sabe bem o que isso é, que ela também já passou por isso, que ...já nem a ouço, prefiro não saber. acredito no que vejo e o que eu vejo és tu.

(plink)

o carvalho, aquele que fica do lado direito da nossa casa...como vês as suas folhas estão a ficar desbotadas e mais uns dias e começam a cair anunciando finalmente o Outono. Sei que gostas muito de todos os anos guardar uma folha seca, desbotada e perfeita, a lembrar todos os teus Outonos. Por isso trouxe-te uma meu amor.

Não sabia tirar fotografias...mas o nosso neto mais novo ensinou-me. Algumas ainda ficam tremidas, mas isso a tua vista nem vai notar...por isso não faz mal. A tua neta colou-as num álbum muito bonito e escreveu na capa, mesmo ao lado da rosa que fez questão de secar e depois colar, "temos muitas saudades tuas...". Tens de acordar meu amor...EU tenho muitas saudades tuas.

quarta-feira, setembro 22, 2004

um dia tinha que acontecer parte II

o que é que fazem um artista, uma professora, uma investigadora, um metrografista e uma publicitária á volta de uma mesa?

- falam sobre o papagaio de Churchill...e mais não digo.
Foi muito bom!!

terça-feira, setembro 21, 2004

confissão

"escrever pode ser uma óptima desculpa para quem na vida não tem qualquer esperança. É uma maneira de preencher uma sombra e há momentos em que um beijo escrito vale por muitos.
É sempre a vida, é claro, mas com a distância limpíssima das palavras. E tudo sofre de uma insuficiência que a arte tenta reparar, e falha.
Eu espero que a esperança um dia venha e tudo isto não seja mais do que um exercício de gramática."

Pedro Paixão in Nos teus braços morreríamos

segunda-feira, setembro 20, 2004

nota de rodapé

de vez enquando, só muito de vez enquando, uma pessoa perde o pé...e "o riso começa a ser o de uma pessoa que sente que é o riso de alguém que se ri" que não ela. perde-se de si própria. São precisas raízes que nos prendam a esta vida que levamos, que nos mantenham deste lado, o socialmente aceitável...àquele que chamamos normal (com o se esse conceito existisse). amigos que nos lembrem quem fomos, quem somos e que acima de tudo e apesar de tudo acreditem em nós, mesmo quando nós não o fazemos!

brigada

quinta-feira, setembro 16, 2004

até breve


Quando não somos honestos e sinceros comnosco...também não o somos com os outros, e normalmente essa factura sai demasiado cara. Já paguei uma vez, não queria ter que pagar outra...mas, por qualquer razão, sinto que não fui eu que escolhi este caminho...é mais forte que eu.

preciso de uns dias para colocar as ideias em ordem...

e porque não sei dizer adeus...fico-me com um até já!

quarta-feira, setembro 15, 2004

a embalar...

...The end of the affair the Michael Nyman.

aspiração

Quando se ama, um desejo nos invadede
encontrar a expressão, o verbo, o grito
Com que tudo o que há na alma seja dito
num clamor que transponha a imensidade.

O coração, num vôo de ansiedade,
para exprimir o que tem dentro escrito,
busca o sentido exacto do infinito
e moldes em que atinja a eternidade.

Porém, a voz, exangue e amortecida,
em silencios que vão além da vida,
queda-se, inerte no seu próprio ser.

E, mermurando apenas sons banais,
nós sentimos que é sempre muito mais
aquilo que nos fica por dizer.

Oliva Guerra in Encantamento (1926)

é assim, que da minha boca sai a palvra Amo-te!
Foi assim da primeira vez,
e será sempre...

leituras

está-me a custar um bocadinho ler este livro, não pela história mas pela escrita deste senhor que é demasiado presa e seca para escrever uma história tão...familiarmente bonita, não fosse eu uma romântica...incurável e já tinha desistido!

boas leituras!

terça-feira, setembro 14, 2004

sô Professora

(Não há fome que não dê em fartura.)

Desde que o meu gaijo começou a fazer o mestrado que me deu uma vontade louca de voltar a estudar! Agora não só vou voltar a estudar como também vou dar um arzinho da minha graça a...dar aulas. óh pra mim... sou sô Professora!

nem imaginam o friozinho na barriga...preciso de dicas, rápido que aulas começam já para a semana!

segunda-feira, setembro 13, 2004

"O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."

roubado daqui

caporra!

as palavras não me saem...
pena...havia tanta coisa para dizer!

um dia tinha que acontecer

Não tinha intenção de conhecer pessoalmente os donos dos blogs, mas um dia tinha que acontecer...e ainda bem! Esta miúda é um espectáculo! Sem papas na língua, consegue mais do que falar, transmitir, toda a sua energia.

Gostei muito do cafezinho...espero que seja para repetir!

sexta-feira, setembro 10, 2004

Não!

(antes que venham aqui com uma catana)

Não! nem tudo o o que escrevo é o meu reflexo, ou pelo menos, o meu reflexo presente. As coisas que escrevo são estados de espírito momentâneos, coisas que fazem sentido naquele momento...por uma razão, ás vezes tão obscura que até eu me perco à procura da luz. Muitas vezes descontextualizadas, encriptadas e a maioria das vezes fora de prazo...mas minhas, na sua solidão!

(vá, podem guardar a catana)

ás risquinhas

é como está o ecrá do meu computador...será que é do excesso de uso?
caporra...ai a minha vidinha!

quinta-feira, setembro 09, 2004

li@ em versão musical

para além do blog, agora temos também a rádio emotions - nothing more and yet so everything!
vá façam o gosto ao dedo e digam qual a vossa música preferida, eu aceito pedidos.

ps. xandra como é que se mete o link directo desta coisa?

body balance

Ontem, pela primeira vez, fui fazer body balance. Eu já sbia que aquilo era uma mistura de yoga...com mais qualquer coisa, que não sei bem o quê, ao som da música. O que eu não sabia é que me tinha que esticar tanto, andar desclça e às escuras. Ora, quando nos pediram, em voz melosa, para nos deitarmos o mais confortável possível, como quando vamos dormir (não sei se estão a ver?) o que é que eles estavam à espera. Depois de estar uns minutinhos assim, começam a pedir para nos virarmos de barriga para cima...é pá, assim não dá, ao menos deixem o pessoal dormir um bocadinho, né?

quarta-feira, setembro 08, 2004

sunset on those days

Chega de portas mal fechadas, com frinchas a deixar entrar a luz e o calor desses dias. Chega de palavras pequenas e soltas, de compassos de espera e de silêncios cúmplices. No último instante em que deixei que o teu olhar me roubasse os pensamentos, o teu sorriso ficou preso na minha memória, como uma fotografia amarelecida a recordar os bons velhos tempos. E isso terá que me bastar.

terça-feira, setembro 07, 2004

long time, no see

Um dia saírei daqui, deste rabuscado e embrulhado sonho em que me passeio, dia a dia, como se o tempo tivesse deixado de existir. Um dia, em que finalmente tenha coragem para acordar e olhar para mim, de fora para dentro, depois de tantos anos.


nada se perde!

"... E de novo acredito que nada do que é importante se perde
verdadeiramente
. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos
instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os
amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada,
apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."


Miguel Sousa Tavares... (Escritor português, a propósito da perda de sua Mãe, a escritora e poetisa Sophia de Mello-Breyner)



segunda-feira, setembro 06, 2004

come what may...


...pelas 22h, vou estar munto sogadita, em frente ao televisor a devorar pela 4ª ou 5ª vez (já não sei muito bem!) um dos melhores filmes de sempre - Moulin Rouge!

hoje deu-me para isto...

Ouvi o Sr. 1º ministro dizer que, por respeito à coligação com o CDS/PP não iria rever a Lei do Aborto. Pergunto-me afinal quem o elegeu e a quem deve ele respeito?




a luz da toscana


imagem tirada a mais de 100km/hora...embora não pareça!

sexta-feira, setembro 03, 2004

finalmente...

as fotos de itália chegaram à minhas mãos....estão LINDAS!

derrepente deu-me uma vontade de voltar, parece que estou a reviver tudo de novo...ainda com mais intensidade! Peço desculpa pelo número de fotografias, mas estou tão contentI...que tinha que partilhar!

PS. as fotos seguem já de seguida!
PSI. Ainda ficam a faltar mais algumas...

Siena

Piazza dell Campo com a ...


Fonte Gaia no centro


Palazzo Publico


O duomo por fora...


...e por dentro


fonte branda


a igreja de San Domenico


As ruelas onde me perdi


e as colinas


Florença

Vista da Piazzale Michelangelo


Vista do Jardim della Rose


Senhor que desenhava o duomo do Jardim della Rose


Neptuno na Piazza della Signora


O duomo


a cúpula


as joalharias na...


Ponte Vechio

Veneza

A chegada a Veneza por mar


A ponte dos suspiros


A praça de São Marcos


A Basílica de São Marcos


o Grand Canal visto da...


Ponte Rialto


perdidos nas ruelas


as máscaras


os vidros de murano


Os pombos TS na Praça de são marcos


as gôndolas


a minha fotografia preferida...veneza ao fim da tarde


a partida pelo Grand Canal