quinta-feira, janeiro 31, 2008

terça-feira, janeiro 29, 2008

quinta-feira, janeiro 24, 2008

começam os festejos

hoje a despedida dos 20's com almoçinho regado a vinho e o laboratório arruinado com balões partidos aos pares... siga para bingo!

segunda-feira, janeiro 21, 2008

planning

Os últimos dias têm sido passados a planear os próximos 2 ano e meio. Confesso que "perdi" imenso tempo com isto, mas acho que é essencial e não dou o tempo como perdido. primeiro porque trabalho com seres vivos, com vontade própria... só florescem quando lhes apetece e eu tenho de estar lá nessa altura ou então tenho de esperar mais um ano até nova floração; segundo porque trabalho com seres vivos, que nos impõem as suas vontades... burocráticos até ao limite e, ou entrego a tese a tempo ou pago mais um ano!

Assim, passei os últimos dias a reunir dados, a falar com os orientadores e a fazer contas ao tempo... estica aqui, encolhe ali... espremo as férias entre "tempos mortos", dou tempo para as aulas, avanço com a viagem, guardo uns meses para backup, mais outros para escrever e deixo espaço para o inesperado. As coisas parecem encaminhadas e encaixadas, como num jogo de tetris. Costuma dizer-se que "se queres ver Deus rir, conta-lhe os teus planos", espero que ele não se divirta muito à minha custa... ou que pelo menos, que também eu me possa rir ;).

#021

[day 21, planning, planning, planning]

sexta-feira, janeiro 18, 2008

quinta-feira, janeiro 17, 2008

quarta-feira, janeiro 16, 2008

#016

[day 16, number 9]

Para ti meu amor

se todos os anos te dedicar este poema, não te acanhes, não te envergonhes, não te admires, é o meu preferido... tal como tu!

Em quem pensar, agora, senão em ti? Tu, que
me esvaziaste de coisas incertas, e trouxeste a
manhã da minha noite. É verdade que te podia
dizer: "Como é mais fácil deixar que as coisas
não mudem, sermos o que sempre fomos, mudarmos
apenas dentro de nós próprios? "Mas ensinaste-me
a sermos dois; e a ser contigo aquilo que sou,
até sermos um apenas no amor que nos une,
contra a solidão que nos divide. Mas é isto o amor:
ver-te mesmo quando te não vejo, ouvir a tua
voz que abre as fontes de todos os rios, mesmo
esse que mal corria quando por ele passámos,
subindo a margem em que descobri o sentido
de irmos contra o tempo, para ganhar o tempo
que o tempo nos rouba. Como gosto, meu amor,
de chegar antes de ti para te ver chegar: com
a surpresa dos teus cabelos, e o teu rosto de água
fresca que eu bebo, com esta sede que não passa. Tu:
a primavera luminosa da minha expectativa,
a mais certa certeza de que gosto de ti, como
gostas de mim, até ao fundo do mundo que me deste.

Nuno Júdice
in Pedro, lembrando Inês

segunda-feira, janeiro 14, 2008

quarta-feira, janeiro 09, 2008

comprei um vestido nos saldos

era a única compra que estava estipulada - um vestido de malha, todas as restantes seriam ao sabor do momento e do preço. O vestido é cinzento e largo, acho mesmo que estava na secção de pré-mamã (fui confirmar, é mesmo de grávida!) mas é giro e eu uso por cima das calças como túnica. Já estão a ver a cena, não é? Acho que vai voltar para o armário de castigo! Não preciso de mais lembretes.

#009

[day 9, my new hobby]

terça-feira, janeiro 08, 2008

o dia ontem até foi bom...

Esttou para aqui a fazer tempo, nem sei bem para o quê. Até agora não fiz nada e se não fosse a ida à radio e o apoio dado, este dia era um imenso borrão branco. estou em frente ao computador a perceber o que vou fazer a seguir. Adio a ida para casa... não me apetece ir para casa sozinha, não me apetece ir apanhar os transportes já de noite, não me apetece chegar ao fim do dia e sentir que não produzi nada e pior que não sei bem por onde pegar as coisas amanhã. estou a precisar de algumas respostas e enquanto elas não veêm o sentimento é de perdida a vaguear por uma cidade que não conheço. espero que seja só hoje.

#008

[day 8, ower project on the radio]

domingo, janeiro 06, 2008

tic, tac

este tic, tac começa a soar alto e de forma um pouco irritante, como se fosse um despertador. e eu não gosto de despertadores, normalmente desligo-os antes de tocarem. a este não sei o que lhe fazer, como é que se desliga isto?

#006

[day 6, chicken cat a little bit bored]

sexta-feira, janeiro 04, 2008

ainda sobre o Natal

"Podendo ser muitas coisas, de facto o Natal é hoje a festa da família. E as famílias que temos afastam-se bastante das famílias idealizdas que o marketing todo poderoso não se cansa de promover. Como a distãncia entre as famílias reais e essas outras que vamos interiorizando que deviam ser é enorme, o Natal acaba por ser um tempo de confrontação. Confrontação com a falta de família, com os conflitos de família, com os assuntos pendentes na família, com os limites da família e também com famílias que temos e de quem não gostamos ou que não gostam de nós. E isto é o que há para a maioria de nós. "

Isabel Leal

Exactamente como sempre senti o Natal - um tempo de confrontação. O que faz com que o Natal seja uma festa que me provoca sentimentos contraditórios. Por um lado a esperança e ansiedade pela magia do Natal - acredito todos os anos que esta magia possa lavar algumas mágoas, por outro a sensação que caminho em solo frágil que a qualquer momento se vai desmoronar... o que acaba sempre por acontecer. Por isso escrevo tão pouco sobre o Natal, há muito pouco a acrescentar. Talvez para o ano.

#004

[day 4, good morning sunshine]

quinta-feira, janeiro 03, 2008

to do list... untill end january

@ home

  • desparasitar o gato
  • comprar os cortinados para o quarto [done]
  • passar a administração [done]
  • organizar facturas de 2007

@ work

  • analisar os dados [done]
  • compilar dados e entregar aos orientadores [done]
  • enviar papelada para a FCT
  • programar o plano de trabalhos [done]
  • iniciar a 3ª fase do estudo molecular
  • escolher disciplinas [done]

@ mestrado

  • exame de CCPA [done]
  • exame de GIQ

@me

  • fazer madeixas
  • preparar uma festa diferente para os meus anos [done]
  • perder 1kg
  • divertir-me nas férias da neve [done]

#003

[day 3, data analysis]

quarta-feira, janeiro 02, 2008

#002

[day 2, planning the year]

e para começar bem...

o carro morreu...

hello 2008!!

Não tenho resoluções para 2008, já vivi tempo suficiente para perceber que as resoluções de ano-novo não me servem. Prefiro ficar-me pelas espectativas do que o ano me possa trazer, preparada para o pior, esperando o melhor, acreditando. Profissionalmente, vou iniciar o doutoramento que é algo para o qual lutei muito e por isso senti que foi uma grande vitória. Com ele vem um novo conjunto de responsabilidades, talvez uma viagem, talvez dar aulas, é um grande, grande desafio para o qual espero, acima de tudo, estar à altura. Pessoalmente espero construir equilíbrio e confiança para poder avançar com outras decisões. Trato estas facetas como se fossem separadas, mas na realidade elas estão interligadas e dependentes uma da outra. Resumindo para 2008 eu espero desafios, equilibrio e confiança.
Bom 2008 para todos!