sexta-feira, julho 30, 2010

quinta-feira, julho 29, 2010

... just give me something to hold on...

(com os snow patrol nos ouvidos... bem alto)

Que dia de cão. O dia inteiro a trabalhar, e quando digo inteiro não estou a brincar, entrei às 8h da manhã (como pode atestar o maldito do livro de entrada do LAmol) e saí ás 23h. Sim, leram bem 23h da noite... e as put@s das bactérias não cresceram! É nestas alturas que me cresce um vazio por dentro e sinto as saudades a quererem entrar... nestas alturas sinto a falta de um colo, pois claro. E como não tenho, só me resta aliviar-me e dizer asneiras (que nem é o meu costume), mas as put@s das bactérias não cresceram!! #&%$#/&(/)... é mais forte do que eu, sou tão púdica nestas coisas, nem uma asneira consigo escrever (embora me passem todas pela cabeça), mas as put@s das bactérias não cresceram!!

... just give me something to hold on...

segunda-feira, julho 26, 2010

da morte

à uma semana atrás uma amiga, aqui do Brasil, perdeu o namorado. Assim, de um momento para o outro (não é sempre?), sem estar à espera, sem qualquer indício... num momento está feliz, com um sorriso presente, e no segundo seguinte o amor dela morre e é enterrado levando com ele todos os sonhos de uma vida em conjunto. Nesse dia, em que ela se despediu do seu amor (que eu não conheci), estivemos todos presentes, para tentar amenizar a sua dor (como se isso fosse possível), desabei porque me custou vela sofrer e também porque desejei nunca ter de passar por isso. embora me pareça quase inevitável, já que a morte é a única coisa que podemos tomar por certa nesta vida.

A mim não me sai da cabeça e do fundo do coração esta sensação de impotência, esta noção de fragilidade e este medo do improvável. A morte, ou a noção da sua presença, ficou mais viva dentro de mim. Evitamos falar dela, com algum receio que ela se sinta convidada a entrar, no entanto sabê-la presente também pode ser libertador. Quero acreditar que nos faz viver melhor, porque sabemos que temos de aproveitar todos os momentos, não há tempo para aguardar por um momento melhor, por uma ocasião especial, porque ela pode não chegar. Amigos, família, amor... ela pode não chegar,
e eu sou uma sortuda por vos ter na minha vida.

impressão minha...

ou chegou a silly season à blogosfera?

domingo, julho 25, 2010

terça-feira, julho 20, 2010

quarta-feira, julho 14, 2010

sabem o que mais custa?

... não são os caracois
... não são as sardinhas
... não é o calor
... não é a falta de sol
... não saõ as sandálias
...não são as férias
... quase que nem é a praia

é a pele dourada e os SALDOS!

pronto, é isto. pirigueti!!

;)

ps- já avisei por aqui, a próxima vez que for a Salvador, quero ficar enfiada no centro comercial e esturrar o meu dinheirinho... nem que tenha que pagar mais caro que em Portugal... não quero saber.

terça-feira, julho 13, 2010

cientista na cozinha - Frango com crise de identidade

Eu tinha um frango e arroz para acompanhar, por isso queria fazer um prato com molhanga. Pensei, caril de frango, perfeito. Mas parece que por aqui ninguém sabe o que é caril ou cáriu. E depois pensei no meu frango com natas, mas também não havia a sopa de rabo-de-boi instântanea que costumo usar, nem a de cebola de opção. O que é que eu fiz? Dei a volta à dispensa da minha amiga e fui metendo para dentro do tacho, tal qual um Merlim a fazer a sua poção mágica. Então foi assim:

Refoguei cebola em azeite e quando já estava molinha caramelizei (reguei com vinagre e 1 colher de açúcar), depois coloquei o frango aos pedaços a cozer, depois manga aos pedaços. Depois coloquei 200ml de leite de côco. Temperei com sal e molho de soja. Como ainda me sabia a leite de côco, meti uns pozinhos de molho madeira (amigos, era o que havia). Como ainda não estava satisfeita parti uns amendoins e panela com eles. E assim se fez um frango, para o qual ainda estou a inventar um nome... qualquer coisa como Frango com crise de identidade, ou frango sem nacionalidade, ou ainda frango à 4 continentes (já que tem um toque de de cada continente: asiático, africano, americano e Europeu).

Alguém duvida que ficou bom? só não sei se vou conseguir reproduzir a experiência. Um problema comum ao laboratório.

domingo, julho 11, 2010

na muche!

e não precisei do polvo para adivinhar.

morta , morrida, matada

Muito, muito trabalho e muita, muita gente a trabalhar. Naquela laboratório, para que funcione, temos de requisitar tudo tal não é o ritmo de trabalho, requisitam-se os PCRs, requisitam-se as cubas de electroforese, requisita-se o fluxo, requisitam-se as micropipetas, requisita-se o sequenciador, requisitam-se as centrifugas (são SÓ 4), requisita-se o banho-Maria e para a semana ainda devemos guerrear pelas tips (que não estão autoclavadas) e pelos DNTPs (que estão a acabar). Resumindo e concluindo, estou (auto) requisitada para trabalhar ao Sábado, até ver se não se segue o Domingo. Estou feita ao bife... e a ver o Rio por um canudo.

Cuando no se puede escapar, y estas constantemente dependiente de todos los demás, se aprende a llorar sorindo.

Mar adentro (2004)

Ontem foi noite de lady´s nigth, uma brasileira, uma boliviana e uma portuguesa. E toda a gente conseguiu ver o filme, umas por legendas, outras pela língua ;).

sexta-feira, julho 09, 2010

movie # 3

What we feel isn't important. It's utterly unimportant. The only question is what we do.
The reader (2008)

quinta-feira, julho 08, 2010

movie # 2


Just because she likes the same bizzaro crap you do doesn't mean she's your soul mate.

(500) days of summer (2009)

terça-feira, julho 06, 2010

mas anda toda a gente iludida?

A achar que as pessoas trabalham pelo amor à camisola? Trabalham naquilo que as faz feliz e onde lhes pagam melhor, ponto. Se fazem do futebol profissão, vão para onde lhes pagarem melhor e ou onde tiverem mais condições. Se gostarem de apresentar programas de televisão, vão para onde lhes pagarem melhor e ou onde tiverem mais condições. E aí sim, vestem a camisola porque são profissionais. É uma profissão, não é religião (e mesmo essa pode mudar). Querem cá ver, se me oferecerem bom dinheiro e/ou melhores condições eu vou me deixar ficar no mesmo sítio. Eu cá gosto de desafios, de aprender e de dinheiro para fazer as outras coisas que também me dão prazer.

Maçã podre?? hu, hu... bela dor de cotovelo.

segunda-feira, julho 05, 2010

parece que

vou ter tempo para por filmes em dia... muitos. Preciso de sugestões de bons filmes.

movie #1


I don't know why I'm surprised when people do the rigth thing.
It's complicated (2009)

foi mais ou menos isto


com algumas diferenças. 1.não era uma aranha 2. em vez de uma folhinha de papel foi um dicionário e 3. eu pedi desculpas ;).

Estou triste

Este fim de semana, estive sozinha e como não há nada para fazer e chove o dia inteiro e na verdade não é seguro andar na rua, fiquei enfiada em casa. Tentei avançar com um artigo, vi filmes e séries, fiz um bolo de chocolate para me confortar e em vez disso só me torturei. Falei com 2 pessoas, apenas. Apareceu um bicho rastejante em casa e eu tive que o matar sozinha e aí tive vontade de chorar. Senti-me só e distante do meu mundo. Não acho que toda a gente consiga compreender esta distância, mas mesmo assim partilho, porque simplesmente não há outra forma de encurtar distâncias. E eu preciso.

domingo, julho 04, 2010

e agora vou torcer por quem?

Gosto tanto do hino do Uruguai, só por causa disso (e pelos rapazitos giraços) ignorei o Gana, o único País Africano e torci por eles nos quartos de final. I'm drived by beauty ;). Mas depois vi aquela mão e o azar do Gana e tive pena. Tirando uma final Brasil-Portugal, desde o início que defendi a Holanda como a equipa mais equilibrada e que sorrateiramente havia de chegar à final, ao contrário da Alemanha que não me convenceu com a primeira goleada. Espanha eliminou-nos, mas não sinto qualquer rancor, porque jogaram bem e mereceram ganhar (ao contrário da Grécia e da França noutros campeonatos, e que feliz que fiquei por terem sido recambiados logo nas eliminatórias), para além de que me sinto melhor se Espanha ganhar, se é para perder que seja com os campeões.
Por isso vou torcer por uma final Holanda-Espanha, com a vitória de Espanha. A Alemanha fica em 3º e o karma há-de tratar da mão do Uruguai (como aconteceu com os outros mãozinhas). Mas que o hino é bonito, é!

that´s just rude

and childish.