segunda-feira, dezembro 31, 2012

em 2012

Fechei um ciclo e reparei o meu coração. Senti-me renascer. Fiz 34 anos e passei o ano inteiro a dizer que tinha quase 35 (coisa de que me arrependo agora à beira dos 35). No dia do meu aniversário os meus amigos levaram-me a um restaurante no bairro alto. Preparei uma festa de aniversário que há muito queria fazer, com uma tarde de quizz e lanche (maioritariamente) preparado por mim. Nesse dia fiz 4 bolos e recebi muito, muito carinho. Escrevi e submeti 3 artigos, 1 já foi aceite. Trabalhei muitos dias até às 21h na faculdade e senti o meu esforço reconhecido. Entreguei a tese de doutoramento e fugi para Grândola no dia seguinte. Submeti um projecto de pós doutoramento. Imaginei-me agricultora. Fiz um curso de fotografia. Iniciei o emotions photography. Apaixonei-me pelo emotions photography. Imagino-me fotógrafa. Aprendi a trabalhar no lightroom, fiz um site e tratei da minha marca numa semana (o poder da paixão). Fiz 10 sessões, fotografei casais, grávidas, solteiras e um bébé. Conheci Leonor. Fiz novos amigos. Passei a maior parte do ano com dois trabalhos (mas não com dois ordenados). Fui quase todos os fins de semana ao Meco... e ao Sr. Domingos comer petiscos deliciosos. Inscrevi-me no ginásio e não me peso há mais de 6 meses. A roupa está mais larga. Fui ao optimus Alive pela 1ªvez. Passei um fim de semana em Porto Côvo com os meus amigos. Joguei volley na praia que me soube a tempos idos. Passei férias com as minhas amigas no Burgau, o sítio onde passava férias quando era adolescente. Bebi muitas caipirinhas, mas fiquei tonta logo com a primeira. Fizémos videos hilariantes que felizmente não vão parar ao youtube. Fizemos brindes em todas as noites de verão. Dançámos muito, rimos muito, descansámos muito e fomos muito felizes. O carro não saiu do sítio. Passei para outro projecto de investigação. Vi o meu trabalho reconhecido. Perdi o meu avô. O meu pai teve um AVC algumas horas depois de me dizer que estava tudo bem. Descobri que o mundo não acaba, mesmo quando todo o nosso mundo deixa de existir. Arrependi-me de não ter dito mais vezes que gostava dele e de não lhe ter dado mais oportunidades. Despedi-me do meu Pai ainda em vida. Passei o Natal em minha casa. Fiz um reveillon em minha casa muito especial, com muitas fotografias (claro). Tive os meus amigos sempre comigo. Jantámos na casa uns dos outros regularmente. Fomos ao teatro 3 vezes. Fiz um peddypapper por Lisboa. Conheci recantos fantásticos nesta bela Lisboa. Gastei trocos no Santo antónio e com 20 centimos garanti casamento ;), fiz os turistas rir. Participei no projecto aday. Fui a uma manifestação. A bolsa de pós-Doc foi recusada. Zanguei-me com a ciência. Mandei mais de 100 CV´s. Fui a 1 entrevista. Ajudei a construir um projecto para Angola. Vi o meu trabalho reconhecido. O meu sobrinho fez 5 anos e continua um doce. A minha família ficou mais próxima. Passei mais tempo com o meu irmão e com a minha mãe. O meu gato continua espectacular. Não me apaixonei por ninguém. Ganhei um admirador secreto. Desapaixonei-me por alguém. Apaixonei-me pela fotografia, apaixonei-me pelos meus amigos e pela minha família e apaixonei-me, finalmente, por mim.

2 comentários:

ASB disse...

E-mocionante, como sempre. Obrigada pela inspiração continua... não imaginas como.

ana rita nunes disse...

O teu balanço fez-me sorrir e pensar que tudo vale a pena, acredito profundamente nisso. ***