sexta-feira, dezembro 18, 2009

pedras no coração

Para viver melhor comigo e com os outros, eu tive de aprender a esquecer muitas coisas que foram acontecendo na minha vida. Umas apaguei, outras embrulhei muito bem e coloquei atrás do coração para a razão não ver. Elas estão lá, eu sei... mas eu escolho não as abrir, qual caixa de pandora, para não alastrar o mal pelo meu coração todo. E vou vivendo assim, carregando pedras atrás do coração e fingindo-me de amnésica (talvez o meu esquecimento permanente seja também já um mecanismo de adaptação). No Natal estas pedras pesam mais. No Natal há quem consiga fazer-me reviver todo o peso das pedras, mesmo depois de todo o esforço que faço para esquecer. Fico verdadeiramente abismada como consegue(s)m fazê-lo, todos os anos, de maneira diferente. A sério, eu não tinha imaginação para tanto. E doi, muito. E eu estou farta e cansada. Já não tenho 15 anos, sei bem o que quero para mim. E não vou continuar a acumular pedras no coração. Sim, isto é um aviso.

3 comentários:

Filipa disse...

Adorei este texto. Identifico-me muito com as tuas palavras. Posso linkar no meu blogue?

Beijinho

li@ disse...

à vontade... este é o sentimento que me acompanha todos os Natais, presumo que não seja a única ;\.
bj
lia

C. disse...

Eu sei o que tu sentes, e tento todos os Natais aliviar-te o peso dessas pedras.
E todos os Natais vou tendo pedras também para carregar, pedras "emprestadas" é certo.
Não percebo, nem sei se quero perceber!